Sobre

 Sobre a A.C.E.R.


Criação
A A.C.E.R. resultou da necessidade de se criar uma instituição que pudesse, no quadro legal, contribui para mobilizar a sociedade civil no sentido da protecção, salvaguarda e valorização do património cultural português.
A Associação foi criada por registo notarial em 31.10.2001, o qual foi publicado no Diário da República n.º 41/2003, 1º Suplemento, Série III de 2003-02-18.
Tem o NIPC 505844575.


Estatutos
Consulte aqui os nossos Estatutos (ou obtenha aqui o PDF com a Certidão dos mesmos)


Direcção
Conheça os Membros da Direcção (biénio 2021-2022)


Site
Desde cedo e face à exiguidade de meios se tentou criar uma presença na Internet utilizando formas económicas, que nem sempre resultaram da melhor forma, pelo que se optou por dotar a ACER de um domínio próprio (acer-pt.org).
Utilizando primeiro um endereço de reencaminhamento do serviço web.pt, já extinto (www.acer.web.pt), disponibilizamos uma primeira e uma segunda versões (no extinto serviço planetaclix.pt em 2004, e no Google Sites a partir de 2008 e até 2011):

http://acer.planetaclix.pt/              https://sites.google.com/site/siteacer/


Logótipo
A A.C.E.R. adoptou como logótipo uma estilização da folha do Acerpseudoplatanus L.

Família: SAPINDACEAE ^

Nome científico: Acer pseudoplatanus L. Publicação: 1753 Grupo: folhosa caduca Nomes vernáculos: bordo, padreiro, plátano-bastardo 

Descrição: Espécie arbórea caducifólia de porte elevado chegando a ultrapassar 30 m de altura, tem copa abobada e ampla, folhagem densa e abundante; ramos frequentemente robustos, raminhos curtos e sinuosos verde-acinzentados com lentículas mais claras. O tronco recto, cilíndrico é primeiro liso e acinzentado tornando-se depois castanho-escuro. 
Folhas caducas, simples, opostas, palmadas, divididas em 3-5 lóbulos agudos sendo as margens providas de grossos dentes desiguais; verde-escuras por cima e mais claras por baixo, com pêlos ao longo das nervuras principais, com cerca de 10-15 cm de comprimento. O pecíolo é muito longo e avermelhado de 5-15 cm. A forma geral da folha é muito parecida com as do plátano, no entanto, o tamanho e o recorte das folhas variam com a idade: as árvores jovens apresentam folhas maiores, profundamente lobadas com pecíolos escarlates, enquanto que os exemplares mais velhos com crescimento lento apresentam folhas mais pequenas, com pecíolos mais curtos, verdes ou rosados, lobos menos acentuados, sendo os dois lobos junto à base de tamanho inferior aos restantes. 
Floração em Abril e Maio. Numerosas flores entre 60 e 100, hermafroditas ou unissexuais, de cor amarelo-esverdeado, dispostas em panículas pendentes com 6 a 12 cm; aparecendo com as folhas.
As flores, pequenas, e melíferas têm longos pedúnculos, dois verticilos florais, um de 5 sépalas e outro de 5 pétalas desenvolvidas e livres, que se inserem junto com os 8 estames, num disco anelar carnudo situado debaixo do ovário.
Os frutos aparecem aos pares no Outono do mesmo ano. As dissâmaras (duplas sâmaras), são glabras e com asas membranosas, formam entre elas um ângulo aproximadamente recto de 90º; tendo cada par cerca de 6 cm de largura, verdes matizados de vermelho quando jovens e castanhos na maturidade; mantendo-se muito tempo na árvores, depois desta ter perdido as folhas.
Gomos ovóides de 0,8-1 cm, possuem escamas verdes, orladas de castanho.
Ritidoma: quando jovem é liso e acinzentado, com a idade fissura-se em placas irregulares que se descamam, expondo manchas levemente alaranjadas.
Habitat: árvore rústica de plena luz que tolera o ensombramento e que prefere locais frescos. Comum nos bosques e vales caducifólios, também podendo fazer parte da flora ripícola. Embora indiferente ao pH dos solos aprecia-os profundos, frescos e ricos em húmus. Prefere climas com pluviosidade regular, (sobretudo nos primeiros anos de vida) ainda que suporte bem o calor e a secura; tem enraizamento profundo; aceita altitudes elevadas, até 1500 m, possui boa resistência ao frio.
Propagação: propaga-se por semente, produzida em abundância e naturaliza-se facilmente se as condições ecológicas o permitem, ou por estaca e renova bem pelo cepo.
Crescimento rápido, vive entre 300 a 400 anos.
Utilização: Madeira de boa qualidade, branca e homogénea com uma granulação contínua, fácil de trabalhar. Utilizada em marcenaria, carpintaria, no fabrico de instrumentos musicais, interiores: decoração e revestimentos.
Ocorrência:
Fonte: Naturdata